Meu filho meu pecado 1


BY: Noviinhotesudo     Então gente, venho aqui para contar essa história que vem acontecendo já há algum tempo. Me chama Carlos, tenho 30 anos, negro, alto, bem musculoso e tenho um filho, Luis, que acaba de entrar na puberdade, ele é branquinho, puxou a mãe, todo alegre e de cabelos escuros e cacheados como os meus, magro, mas com uma bunda bem gordinha.
      Bem, tudo começou a mais ou menos dois anos, minha esposa teve que fazer uma viagem de alguns dias a trabalho e ficaríamos só nós dos na casa. Luis tinha uma rotina muito bem feita, de manhã ia pra escola, a tarde tarefas e arrumar as coisas pela casa e a noite ia dormir cedo no seu próprio quarto, mas como sua mãe ia viajar ele iria dormir comigo na nossa cama. Luizinho parecia muito animado, sempre fomos bem próximos e como sou muito carinhoso, isso se passou pra ele. Já na segunda feira, no primeiro dia sozinhos aproveitei para relaxar um pouco, estava de férias, então o deixei na escola e passei o dia em casa, estava muito quente então tirei minha roupa e deitei no sofá para assistir um pornozinho, já que quando a patroa estava em casa eu estava proibido e praticamente não fodiamos mais, o cuzinho então? Não sentia fazia praticamente um ano e aquilo estava me matando, eu amo um cuzinho apertadinho, foder de quatro e tratar minha putinha como deve ser tratada. Coloquei um vídeo de foda gay, eu sou bi, daqueles sites de incesto e comecei minha bronha, sempre gostei de uma foda em família, mesmo só tendo feito algumas vezes, mas isso é outra história que eu posso falar depois. Bati duas punhetas gostosas seguidas, gozando todo meu corpo e melando meus pelos, gosto de deixar bem peludo, aproveitei que tava sozinho e tirei uma soneca, deixando os vídeos no automático rodando e acabei dormindo.
Acordo bem morgado com o sol batendo na minha cara, sinto minha porra seca grudada no meu corpo, coço meu saco e começo a me levantar
- P-Pai?
-Opa! Luiz meu amor, já chegou? Mds que horas são? - meu pequeno estava parado na minha frente e me encarava, não exatamente minha cara, parecia estar olhando pra baixo
- Já é meio-dia, vim com o Pedro - Ele fala apontando para trás e só nesse momento percebo nosso vizinho parado mais pra trás, ele acena pra mim e parece envergonhado também.
- Ah, oi Pedrinho, tá grandão né? - Pedro é filho do vizinho do lado, um garoto pardo e dois anos mais velho que Luis, mas sempre foram muito amigos, tinha um corpo muito bonito
- Bem grande- ele responde e eu estranho, um som estranho vindo da TV e é o início de um porno, só nesse momento eu me lembro que estava pelado e sujo de porra, olho pra baixo e entendo o quê eles tavam olhando, não pra mim ou pro chão, mas meu pau duro e pulsante de bons 20 cm retos de cabeça roxa e babando. Um misto de vergonha e tesão me invade de uma vez só, meu filho tinha me visto daquele jeito, logo eu seu exemplo e ainda junto com um amigo, sabe-se lá a quanto tempo, mas ao mesmo tempo, os dois pareciam não ter ligado, ou até mesmo gostado do que estavam vendo e foi esse sentimento que falou mais alto. Me recosto no sofá, mostrando todo o meu corpo, passo a mão no meu peitoral, desço pelo meu tanquinho e dou uma bela coçada no saco, apalpando meu pau, tudo isso seguido por seus olhos atentos e Luiz ainda estava de boca aberta, parecia até um convite...
-Então Pedrinho, muito obrigado viu? - me levanto, nu mesmo e o cheiro de gozo sobe pela sala, que cheiro bommm - Agradeça seu pai por mim, você vai passar a tarde aqui? - Ele apenas acena com a cabeça, me espreguiço - Pois bem, vou terminar o almoço e tomar um banho, tô um pouco grudento hahaha fique a vontade - Pego o controle remoto e desligo a TV, me encaminhando pra cozinha para terminar a comida, consigo ouvir os dois cochichando antes de ir para o quarto "Grande.." e "Sua mãe é sortuda" foram algumas coisas que eu ouvi, me deixando mais duro ainda, se é que era possível.
      Usei um avental durante o almoço, recebendo vários olhares, Luiz me encarava de olhos baixos, Pedro parecia quase desapontado e lançava vários olhares para o meu pau coberto, mas ainda duro, termino de comer bem rápido e vou direto pro banheiro. Fecho a porta e começo uma das melhores bronhas da minha vida, não me contenho e nem quero, o som da punheta só não era maior que o dos meus gemidos, vou perdendo o controle e imaginando coisas que nunca tinham passado na minha mente antes: foder meu pequeno era uma deles, sentir sua boquinha e seu corpo e gozando gostoso naquela carinha, nesse momento jorro toda a minha porra embaixo do chuveiro, uma goza da forte e cheia de porra grossa, é nesse momento que bate a culpa, estava imaginando fuder meu filho, meu sangue, meu pequeno. Não era certo. Não podia fazer aquilo, mas eu queria tanto...
   Após sair do banheiro passo direto para o meu quarto e vejo poucas vezes os meninos durante o dia, mas agora eu estava vestido. Logo chegou a noite e ouço a campainha tocando, quando abro vejo Josué, um belo exemplar europeu na minha frente, barbado e loiro dos olhos azuis, Pedro tinha muito dele em si, mas algo que sempre me chamou atenção foi a falta de vergonha de Jô, andando sempre com bermudas coladas ou transparentes, às vezes os dois e exibindo um pau coroado por pentelhos loiros que sempre me deixaram com água na boca, principalmente quando eu estava com aquele caralho na boca. Nós fodiamos a alguns anos sempre que dava, sempre no perigo hahaha.
- Carlinhos meu amor, vim buscar meu de menor
- Não me diga! Achei que tinha vindo pra gente se divertir um pouquinho, hein? Que que você acha? - dou uma pegada gostosa naquele cacete na minha frente, ele se estremece todo
- Aaa.. Você sabe que eu não recusaria um convite tão... Direto hehehe, mas meu pai tá aí, sabe como é, aniversário do Pedrinho é essa semana, vai ser seu ritual de passagem, meu pai e meus dois irmãos vão vir pra comemorar, vai ter que ficar pra próxima, mas vocês tão mais que convidados
- Com certeza, estaremos lá, é depois de amanhã já né? Ótimo, Luis vai adorar, falando nele... - os dois meninos aparecem na porta - Bem, está entregue até mais Josu, e cuidado com o buraco pequeno hein
- Segura essa cobra você hahaha - Era sempre uma brincadeira nossa, nós sabemos de quase todas as histórias de foda um do outro e como gostamos de um novinho, brincamos de não foder os filhos, mas no meu caso estava muito perto disso.
    Assim que eles vão embora vou pra cozinha esquentar o jantar, que comemos em silêncio. Meu filho não falava nada, mas me olhava muito, então decidi ir deitar cedo, ele veio logo em seguida, eu apenas de bermuda e ele de pijama e caímos no sono, ou mais ou menos isso, acordo no meio da noite com uma sensação estranha, um calor na pica muito grande e uma sensação de molhado. Inicialmente acho que um sonho, mas logo percebo que não era, era real e Luis estava entre as minhas pernas, me punhetando e usando sua saliva pra lubrificar, ele era rápido e forte, parecia fascinado. Finjo que ainda estou dormindo e me seguro o gemido quando gozo pela quarta vez no dia, estava completamente suado, mas imóvel. Luizinho me surpreende e quando acho que ia voltar pro seu lado e sinto sua língua passando pelo meu corpo, me limpando e não sentia mais nada de gozo. Depois disso dormimos.
Pra que não fique muito grande vou separar em partes, até a próxima


Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu vonto junto com o meu comentario:

 


Próximo Conto

Festa na madrugada - Real