Amigo


BY: OhMyJak Tenho um amigo “hétero”que comecei a fumar uns baseado com ele, até que a gente acabou transando. Segundo ele eu fui o primeiro cara que ele ficou. Na época ele disse que tava curioso sobre como era sexo gay, mas queria provar comigo, já que a gente convivia e já tinha intimidade e confiança. Mas não é sobre a nossa primeira vez, hoje vou falar sobre o que rolou hoje no meu dia de folga.
Eu tava dormindo ainda quando ele chegou em casa. Como tá sempre aqui, minha avó deixou ele entrar pra me acordar. Eu tava de bruços, naquela parte quase acordando quando a gente fica roçando o pau no colchão, e ele já chegou metendo o tapa na minha bunda e rindo.
- Acorda moço, vim animar teu dia. Trouxe um beck pra gente curtir um pouco.
E tirou da carteira um baseado de maconha. Ele tinha ido na academia e resolveu passar aqui na volta do treino. Tava usando uma regata vermelha e um short de academia até no meio da coxa, e que marcava o pau.
- Eai cara, deita comigo, falei puxando ele pra cama só de brincadeira, enquanto ele ria. Apesar da gente já ter ficado, a amizade continua legal, com brincadeiras e sem neuras. Claro que é só sexo, dois caras curtindo o tesão que bate as vezes é se satisfazendo.
- Sai kkkk, vamo fumar um, bora? Ele escorou num travesseiro me passando o cigarro.
- Bora, Pera ae que vou tomar banho e a gente acende.
Sai do quarto, tomei um banho rápido pra despertar e tirar o suor e voltei.
Cheguei, botei um short sem cueca, uma regata e fomos fumar sentados na cama. Poucos tragos depois ele pediu pra eu fazer uma massagem no peito dele, tava dolorido pela academia e eu fui fazer sem intenção. Tirei a camisa dele, ele deitou e eu sentei em cima das pernas dele. Sentindo o pau fazer pressão na minha bunda. Quando comecei a massagem, senti o pau do safado endurecendo e ele gemeu baixo. Aproveitei pra rebolar e sentir ele contraindo o corpo enquanto sentia tesão.
Eu já tava bem excitado, então resolvi entrar na onda dele. Comecei a massagear as pernas, as vezes minha mão subia de encontro ao volume no short e ele ficando cada vez mais duro. Apertava a parte de dentro da coxa, e alisava ele enfiando a mão pela perna do calção. Quando eu percebi que ele já tava bem duro, abaixei o calção e segurei o pau com as duas mãos, massageando enquanto subia e descia as mãos.
- Molha ele pra mim? Eu ouvi ele pedindo enquanto soltava a fumaça do baseado no meu rosto.
Olhei pra ele, dei uma risada e abaixei o rosto em direção ao pau dele. Branco, grosso, com uns 19cm e meio torto pra baixo. Resolvi começar por baixo, então passei a língua pela virilha enquanto o masturbava. Coloquei uma das bolas na boca, suguei de leve, e logo fui subindo a língua pela extensão daquele pau, molhando bem com a língua até chegar a cabeça rosada. Eu fazia um pouco de pressão com a boca enquanto descia engolindo uma parte, e senti ele suspirar segurando um gemido mais alto.
- Mano, tu chupa bem demais cara. Faz aquele negócio com a boca vai. Engole ele todo pra mim.
Eu tava com muito tesão, e aumentou com ele falando comigo. O meu pau tava saindo da cueca já, então resolvi tirar a roupa, fiquei de 4 entre as pernas dele e fui colocando o pau dele inteiro na boca. Eu sentia a cabeça deslizar pela minha língua, e ele fazendo carinho no meu cabelo me incentivando. Meu pau roçava no lençol da cama e minha bunda empinada pra cima me faziam sentir tanto tesão quanto eu tava fazendo ele ter com minha boca.
Quando encaixei o pau dele todo na boca, comecei a subir e descer devagar, com pouca pressão e deixando a língua deslizar pelo pau duro. Sentia as veias com a língua, e ele tentava empurrar mais fundo a rola enquanto empurrava o quadril contra meu rosto.
Enquanto eu chupava, me masturbava sentindo o pau dele pulsando. No ritmo que eu tava, ele ia gozar já já. Então aproveitei pra deixar ele louco. Enfiei o pau todo na boca. Babei bastante aquele pau, e quando deslizou pela minha garganta, comecei a fazer movimentos com os músculos da garganta. Apertando e sugando aquele membro duro com força enquanto eu massageava seu saco.
- Seu puto, vou esporrar tua boca desse jeito. E ele me olhava com um sorriso safado no rosto. Dei mais uma chupada e ele me parou.
- Tu quer leite né? Mas não vou deixar na boca. Vem cá.
Eu tava quase gozando, nos dois estávamos suados e querendo gozar, então ele me puxou e me colocou de 4.
- Quero gozar em você, olhando esse rabo gostoso.
Eu ri e empinei mais a bunda, ele esfregou o pau em mim, deu um tapa do lado do meu rabo e começou a bater uma punheta com o saco batendo no meu cu. As vezes parava e esfregava o pau babado me dando mais tesão ainda, meu pau já doía querendo jorrar, até que ele diz que vai gozar.
- Caralho, vou gozar, Geme pra mim vai.
Nem precisei terminar de ouvir. Quando senti a porra quente espirrando nas minhas costas, meu pau contraiu e esporrou no lençol. E eu gemi.
Ele passou o pau na porra, e esfregou no meu rabo piscando pelo tesão da gozada. Eu gemi com o toque e ele riu sabendo o efeito que me dava
Deitou, limpando minhas costas e me puxou de lado pra dividirmos um travesseiro.
E aí terminamos de fumar o baseado.
Foto 1 do conto: Amigo



Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu vonto junto com o meu comentario:

 


Próximo Conto

A primeira trepada com Jânio